Entrevista dada pela Pabllo para a Vogue Portugal.

Como a matéria é muito grande resolvemos colocar apenas uma parte. Caso queira ver a entrevista completa clique aqui

[…]

Em que momento da tua vida percebeste que tinhas a liberdade do teu lado. A tua mãe sempre te apoiou, mesmo quando eras adolescente… 

Ohhh (murmura). A minha mãe apoiou-me sempre desde pequeno mesmo… Acho que é por isso que eu sou tão exibida e extrovertida. Ela disse-me que eu podia ser quem eu quisesse. É graças a ela que estou aqui (manda um beijo para o ar).

E a Beyoncé? 

(solta um pequeno grito) Quando eu era pequeno, não havia nenhum ícone LGBTQ+, então eu foquei-me nas grandes divas que me inspiravam. Fui há poucos dias ver um concerto dela a Amesterdão, foi a primeira vez que a vi ao vivo… É realmente incrível. Estou mais apaixonada ainda, e é uma grande inspiração para todos nós que estamos no palco, somos artistas e gostamos de dançar. 

O que aconteceu sábado, durante o teu concerto do Arraial Pride aqui em Lisboa?

Ai, muita emoção.

Não estavas à espera de ver tanta gente?

Eu nunca imaginei sair do meu país para cantar e ainda mais ser querido ou amado. Nunca imaginamos até onde a nossa música vai. É sempre bom ter esse choque de realidade no contacto com as pessoas.

COMENTÁRIOS